Novo post criado em 26 de Jul de 2022 as 15:18:11

Pauta da reunião tratou da crise enfrentada pelo hospital privado Clipsi, interditado eticamente pelo Conselho Regional de Saúde

O prefeito Bruno Cunha Lima participou, nesta segunda-feira, 25, de uma audiência na sede do Ministério Público Estadual em Campina Grande, para tratar de uma pauta específica: a crise no Hospital da Clipsi, que sofreu, no último dia 21 de julho, interdição ética pelo Conselho Regional de Medicina (CRM).

Durante a audiência, presidida pela promotora de Justiça Adriana Amorim de Lacerda, Bruno Cunha Lima destacou que, embora o caso de um hospital privado não seja culpa ou responsabilidade da Prefeitura, o governo municipal foi convocado pelo MPPB para apresentar algumas propostas para resolver o problema da assistência da UTI da Clipsi, notadamente o atendimento nas UTIs pediátrica e neonatal da Clipsi, cuja

Na oportunidade, o prefeito propôs um encontro regional com os prefeitos das cidades polarizadas por Campina Grande para discutir os valores repassados por aqueles municípios para o setor de Saúde.

Bruno considera esse tipo de discussão oportuna importante. exemplificando que, no Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea), apenas cerca de 30% dos partos realizados são de grávidas de Campina Grande, ou seja, cerca de 70% são oriundas de outras cidades.

Na visão do prefeito, este debate, que neste momento inclui o caso da Clipsi, também precisa ser feito com as demais prefeituras da região, as quais precisam arcar com a ajuda direta ao sistema de saúde de Campina Grande.

“Sugerimos, então, que as demais cidades também sejam convidadas a apresentar soluções. Por isso, certamente, nos próximos dias, o Ministério Público deverá convidar os gestores das cidades da 2ª Macrorregião para que se concretize este debate como forma de qualificar a prestação do serviço de saúde em Campina Grande, seja na pediatria, neonatologia, obstetrícia ou mesmo na oncologia”, destacou.

Por tudo isso, ele espera que a cada município possa contribuir e arcar com as despesas dos mais diversos tipos de tratamento como forma de Campina Grande ter condições de atender mais e melhor os pacientes locais e das outras cidades que buscam tratamento na Rainha da Borborema.

Presenças

Compareceram à audiência o Secretário Municipal de Saúde, Gilney Porto; Sávio Barros (assessor jurídico da Procuradoria Geral do Município), Thaís André (coordenadora da Central de Regulação de Leitos Hospitalares), Bruno Leandro Souza (diretor de fiscalização do Conselho Regional de Medicina), Cândida Diniz (coordenadora de Neonatologia do ISEA), Maria de Lourdes Jacinto (diretora da comissão de Ética Médica do ISEA), Fábio Crispim (Diretor Clínico da Clipsi), Alcione Valério Silva (diretora administrativa da Clipsi) e Marcos Crispim (diretor da Clipsi).

Codecom

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.