Opinião: Republicanos não tem direito a exigir vice da base governista, se já escolheu o senador da chapa contrária


Compartilhe

Vamos ser bem sinceros e racionais: tem lógica o partido Republicanos, independentemente da força que tem, exigir a vaga de vice, com suas principais lideranças apoiando o pré-candidato ao Senado da chapa contrária? Não.

A defesa que Hugo Motta, Adriano Galdino, Wilson Santiago fazem de Efraim Filho é legítima demais. Afinal, eles “negociaram a base antes”, houve entrega de “espólio” e, em determinado momento, até usaram o apoio para forçar o governador escolher o deputado federal do União Brasil. Mas não aconteceu o esperado.

Agora, não tem o que fazer: ou o Republicanos rompe e vai para oposição ou se contenta em ser aliado do governo João Azevêdo, sem espaço na chapa majoritária.

E não deve romper. Apenas um ou duas lideranças não dependem do governo e podem voar sozinhas em suas candidaturas. Sem citar nomes, se o rompimento acontece, “as pernas quebram”.

Veja também  João admite participação da iniciativa privada, mas nega privatização da Cagepa

Indicar dois nomes para vice faz parte do jogo para o fortalecimento simbólico, mas não tem lógica no jogo formado.

Por outro lado

Aguinaldo Ribeiro (PP) ao colocar o governador na “parede” exigindo a vice ainda não entregou o que prometeu: afora Cícero Lucena (PP), cadê os prefeitos aliados de Aguinaldo que vão declarar apoio explícito ao projeto de João Azevêdo?

Em Bayeux, por exemplo, corre solta a notícia que Luciene Gomes vai anunciar apoio a Veneziano Vital do Rêgo (MDB). Luciene é aliadíssima de Daniella Ribeiro (PSD), irmã de Aguinaldo.

Aliás, a própria Daniella, por exemplo, ainda não fez um evento público, com declaração clara de apoio ao governador.

Ou seja, “os Ribeiro” ainda estão em dívida com o governador, mesmo “impondo” a vice.

  • CHAPA GOVERNISTA
  • joao pessoa
  • paraíba
  • PP
  • republicanos

Laerte Cerqueira

Doutor em Comunicação (UFPE), professor do Mestrado em Jornalismo da UFPB. Autor do livro A Função Pedagógica do Telejornalismo (Insular, 2018). É repórter, editor e comentarista político das TVs Cabo Branco e Paraíba e CBN/PB.

Angélica Nunes

Jornalista formada pela UFPB, com bacharelado em Direito (Unipê). Atua na cobertura política no Jornal da Paraíba, na CBN e nas TVs Cabo Branco e Paraíba.

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Leia também

imagem05-07-2022-18-07-58

Conversa Política

Veneziano vai aceitar um dos quatro nomes indicados pela Executiva Estadual do PT para vice?

Ao Conversa Política, o ex-prefeito da capital, Luciano Cartaxo (PT), disse que não foi consultado sobre as indicações. Segundo ele, não foi proposta uma reunião com lideranças para discutir perfil, possibilidade de quem agrega mais. “Fomos tolhidos”, afirmou.

imagem05-07-2022-18-07-59

Conversa Política

João admite participação da iniciativa privada, mas nega privatização da Cagepa

Pré-candidato à reeleição, o gestor foi o primeiro entrevistado da sabatina promovida pela CBN Paraíba com os pré-candidatos ao governo do estado. 

imagem05-07-2022-18-07-01

Conversa Política

Sem Cartaxos, PT apresenta lista com indicados a vice de Veneziano

Os nomes de Maísa Cartaxo, esposa do ex-prefeito Luciano Cartaxo, e do irmão, Lucélio, chegaram a circular como possibilidade para a vaga.

Cadastre-se na nossa newsletter

    Cadastre-se na nossa newsletter

      Deixe um comentário

      O seu endereço de e-mail não será publicado.

      Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.