Entenda como funciona e quais os benefícios do jejum intermitente


Entenda como funciona e quais os benefícios do jejum intermitente

Saúde em 2 jan, 2022 8:15 0 Compartilhar imagem03-01-2022-10-01-22(Foto: Freepik)

Super conhecido, o jejum intermitente, protocolo alimentar no qual há um horário definido para iniciar e terminar as refeições diárias, é considerado um dos melhores métodos quando o objetivo é emagrecimento. Mas o que muita gente não sabe é que o jejum – quando praticado de maneira correta e com auxílio de um profissional – tem outros benefícios, a exemplo da prevenção de doenças cardíacas e também do câncer.

A nutricionista Marcela Mori, que é especialista no assunto, explica que jejum intermitente é um estilo de vida derivado de uma prática que já é realizada há milênios, seja por questões religiosas, culturais ou pela escassez de comida. De acordo com ela, nosso corpo só entra em quadro de jejum a partir de oito horas da última refeição. Até lá, nossa última refeição é usada como fonte de energia.

“Quando temos glicose disponível no nosso corpo, acionamos o pâncreas a produzir insulina para captar essa glicose e transformar em energia ou reserva (que seria o aumento de peso). Então, posso afirmar que quanto mais meu corpo produzir insulina mais será minha probabilidade de aumentar peso e ter gatilhos inflamatórios. Então, a partir das 8horas de jejum nosso corpo usa outras vias metabólicas (que é a via dos lipídios) para conseguir energia, e ai entra o estímulo a perda de peso e outros benefícios”, detalha nutricionista Marcela Mori.

imagem03-01-2022-10-01-23Marcela Mori é nutricionista e especialista em jejum intermitente (Foto: arquivo pessoal)

Benefícios

Marcela conta que os benefícios do jejum intermitente iniciam durante um processo denominado de autofagia celular, que é onde o corpo começa a decompor as células ruins e anormais, reciclando-as para gerar energia para o corpo, com isso evita o desenvolvimento de células cancerígenas. “Essa autofagia (morte celular) restringe infecções virais e a replicação de parasitas intracelulares, auxiliando o corpo a se livrar das toxinas armazenadas no tecido adiposo”, destaca.

O jejum intermitente também auxilia na diminuição da resistência à insulina e prevenção do diabetes melittus tipo 2. “Durante o jejum, as taxas de glicose diminuem no sangue e, consequentemente, a insulina diminui. Essa ação é extremamente importante para o nosso metabolismo melhorar e chegar aos benefícios que tanto queremos”, explica.

O aumento do desempenho cognitivo também um benefício. “Durante o jejum, seu corpo começa a quebrar a gordura para gerar energia e a produzir cetonas, que são fontes de energia mais eficientes para o cérebro. Além disso, a restrição alimentar e calórica aumenta a produção de fatores neurotróficos que promovem o crescimento de neurônios, de melhorando a conexão entre eles e dando mais força para as sinapses (comunicação entre os neurônios)”, completa.

Marcela Mori destaca que o jejum intermitente melhora a saúde mitocondrial e estimula o crescimento de novas células cerebrais, prevenindo doenças crônicas como Alzheimer e Parkinson. “Além de todos esses benefícios, o jejum favorece a melhora da composição corporal e otimiza a perda de gordura, uma vez que obriga o organismo a utilizar o tecido adiposo como fonte de energia”, acrescenta.

Jejum intermitente e atividade física

A prática de atividade física é uma dúvida comum entre aqueles que desejam iniciar o jejum intermitente. Mas segundo a nutricionista, os exercícios físicos estão liberados durante o período de jejum. “Após um período de adaptação, e isso é um tempo individual, muitos precisam começar devagar, com 12 horas, por exemplo. A partir daí, o organismo passa utilizar a própria gordura corporal como fonte de energia e, desta forma, a prática de atividade física pode ser feita”.

Cuidados

Apesar dos benefícios, o jejum intermitente não deve ser feito se a pessoa estiver com alguma comorbidade, como anemia, hipertensão, pressão baixa, insuficiência renal, anorexia ou bulimia, diabetes, ou faça o uso de medicamentos controlados. O jejum também não é indicado á crianças e mulheres grávidas ou que estejam amamentando. Em relação aos idosos, devem fazê-lo apenas sob supervisão. Em todo caso, é importante sempre ter um acompanhamento médico para que haja uma avaliação e para que de fato o jejum seja saudável.

Quebra do jejum

Marcela Mori explica que é importante estar atento aos alimentos que serão ingeridos durante a janela de alimentação.  “Se a pessoa está em busca de perda de peso, o que comer na janela de alimentação é muito importante. Da mesma forma de como quebrar o jejum. Por isso, indicamos que a pessoa quebre o jejum com carboidratos de baixo índice glicêmicos associados a proteína, por exemplo, uma raiz com omelete. Assim, os benefícios do jejum serão mais potencializados. Evitar alimentos fritos ou gordurosos, alimentos ultra processados e doces são fundamentais para uma melhora da saúde, independente da pratica do jejum intermitente”, finaliza.

Por Luana Maria e Verlane Estácio

0 Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.